Bebê feliz

Nasceu no dia 30/09, às 5:45h a princesinha Helena com 3075g e 50cm, filha de Daniela Carvalho e Reinaldo.
A Daniela, sempre mais quietinha e discreta, mas bem interessada e presente no grupo sempre deixou claro seu desejo de ter um parto natural. Participaram da Oficina de Parto Natural e o Reinaldo, sempre muito interessado. Na terça-feira à tarde, 29, ela me mandou um WhatsApp: "Oi Wilma, boa tarde. É a Daniela Carvalho. Ontem a noite começei a perder o tampão. Tinha consulta com Dr Alexandre, ele verificou 2 cm de dilatação e estou com cólica desde as 6 hs da manhã. Queria que você me passasse algumas orientações.. Obg." Respondi sugerindo que ela viesse para a aula as 18h e que depois eu faria acupuntura e moxa, ela concordou e veio, sai daqui por volta das 20h, já sentindo contrações um pouco mais fortes.
Por volta da 1:30h da madrugada o Reinaldo me ligou dizendo que desde as 22h as contratações tinham ficado mais intensas e freqüentes, por volta da 1h a bolsa tinha rompido, liquido claro, tinham ligado paro o Alexandre Soares Barbosa e ele pediu para que fosse no Cristo Rei para avaliar. Levantei, peguei meus apetrechos e fui encontrá-los. Ao chegar lá a médica plantonista já tinha avaliado 6cm, mas eles ainda estavam na recepção esperando o obstetra dela, para resolver se poderia ser internada lá ou no hospital da UNIMED. Ao chegar vi que as contratações estavam bem intensas ela não conseguia ficar sentada, coloquei logo a bola para ela sentar, perdia tampão e percebemos que não dava mais pra mudar de lugar, o ideal seria internar logo, montar o "ninho". Nisso o obstetra chegou e resolvemos levá-los logo para o quarto enquanto resolviam as questões burocráticas.... Organizamos o lugar e aos poucos fazendo exercícios, penumbra, música ambiente, massagem, carinho do esposo ela foi se acalmando e se entregando ao processo, e o trabalho de parto foi evoluindo, por volta das 5h, dilatação completa e os puxos começaram. As 5:45h a Helena nasceu na banqueta sob o olhar carinhoso e amoroso do pai Reinaldo! Nasceu muito bem, saudável, ficou em contato pele-a-pele com a mãe sendo avaliada de forma carinhosa e bem respeitosa pela Dr Amanda, pediatra. Parabenizamos essa linda família que nasceu junto com a Helena e pedimos a Deus que os abençoe com muita saúde, amor e união!!
Nasceu no dia 23/09, às 18:10h a Julia, com 2970g e 51cm, filha da Wellyta Rodrigues e Juarez Jr! Abaixo coloco o depoimento dela própria sobre sua experiência de parto:
"Então.....Nossa bebê foi super planejada depois de 7 anos de casamento, cobrança da familía por todos lados. Graças a Deus desde o inicio tudo transcorreu muito bem, depois de apenas 4 meses de ter parado o anticoncepcional engravidei.
Quando nem pensava em engravidar ainda, pensava na que quando fosse ter um bebê seria de parto cesária, pra evitar a dor, mas simplesmente sem pensar direito. Quando já se está com o bebê no ventre é outra história, só se pensa no melhor pra ele.
Desde o início da gestação queria um parto normal, porque sabia dos seus benefícios. Comecei o pré-natal e desde a primeira consulta comentei com minha médica que queria parto normal. Não podia ser diferente, venho de família onde praticamente todos os netos foram pegos por parteira, inclusive eu e meu irmão, onde a parteira era minha vó. Por volta do terceiro ou quarto mês de gestação minha médica liberou para eu fazer exercício e eu perguntei a ela sobre a FISIOPALMAS que uma amiga já tinha me indicado e ela super me recomendou. Comecei os exercícios 3x por semana e até então achava que fosse só isso, quando fui percebendo com as conversas com minha amiga que me indicou, com as colegas de aula e em conversas com as fisioterapeutas que não era apenas um local de exercícios, mas sim uma super preparação para um parto mais do que normal, um parto humanizado. Claro que sabia do que se tratava, mas não tinha ideia que já havia em Palmas um trabalho tão lindo como esse e cada dia fui achando mais lindo e me apaixonando mais, fui me encorajando, porque claro que o medo da dor surge, mas se trata de um processo iluminado por Deus e tantas mulheres conseguem por comigo seria diferente?!! Então e meu esposo aceitamos o desafio de trazer nossa princesa ao mundo da melhor maneira pra ela. Participamos das palestras com ensinamentos riquíssimos sobre gravidez, parto, pós-parto entre outros outros assuntos relacionados a gerar um ser e cuidar desse ser, ele participou de apenas algumas porque viaja muito, mas eu sempre comentava sobre o assunto com ele. Participamos também "Oficina de Parto" já na reta final, que eu diria ser o de maior valia de todo o aprendizado. E também toda troca de experiência com as colegas e as super experientes fisioterapeutas/ doulas do núcleo. Tinha medo, mas no fundo me sentia preparada, meu esposo sempre me encorajava com palavras carinhosas, (você sabe parir e a Júlia sabe nascer....palavras que ele ouviu na oficina) e o grande dia chegou. Entraria de licença no dia 23/09 por indicação médica com 39 semanas e 3 dias e coincidentemente no dia que Júlia resolveu que era sua hora. As 2h da madrugada do dia 23 acordei com cólica, barriga dura e vontade de ir ao banheiro, assim fiz, até o dia amanhecer fui ao banheiro mais umas 4 vezes com os mesmos sintomas, acordei as 7h para ir a hidro e ainda comentei com o Júnior... será que hoje amor?!! Mas, sem acreditar muito, já que não estava com dor, achava que fosse apenas contração de treinamento. Depois do aquecimento para começar a aula comentei com Samia Rocha que minhas contrações de treinamento estavam mais intensas, estava sentindo cólica, ela disse que já não era mais de treinamento se tinha cólica, daí então pensei...está chegando a hora
Nasceu no dia 17/09/15, as 0:16h, o lindo Derik com 3400g e 51cm, filho da Andréia Bittencourt Viana Beca e Ronmel. Abaixo o relato do parto feito pela própria Andreia:
"Com 40 semanas e 2 dias de gestação fizemos o ultrassom e descobrimos que o líquido amniótico estava diminuindo. Embora estivesse tudo perfeito com nosso bebê, para evitar uma indicação de cesariana sem oportunidade de trabalho de parto normal, o Dr. Alexandre nos colocou a opção de indução, o que foi acatada prontamente. Chegamos no hospital às 8h do dia 16/09, e após novo ultrassom já demos entrada para internação, no momento com 2 cm dilatação. Avisamos a Carol, nossa doula, que foi até o hospital levar a bola e fez auriculopuntura para ajudar nos estímulos. A Wilma, mesmo na Itália, mandava mensagens para saber como estávamos indo. Eu e meu esposo Ronmel já sabíamos que poderia ser bem demorado todo o procedimento.
Às 9h40 começamos a indução de fato. As contrações começaram a aparecer, porém ainda fracas. Já no segundo soro com ocitocina elas apareceram mais fortes e ficaram ritmadas, porém ainda sem evolução na dilatação. Partimos então para o terceiro soro e embora as contrações estivessem cada vez mais fortes, infelizmente não houve evolução alguma e eu continuava com os 2 cm de dilatação iniciais. Já era aproximadamente 23h30 quando o Dr. Alexandre nos indicou a cesariana, pois pelo tempo de indução e pelas contrações que eu já vinha tendo era pra ter tido alguma evolução. Não sabíamos o que estava impedindo esta dilatação, pois o colo do útero estava muito amolecido, e não compensava mais esperar.
Desde o início da gravidez eu e meu esposo havíamos optado pelo parto normal, e escolhemos o Dr. Alexandre como obstreta pela confiança e tranquilidade que ele nos passa. Sabíamos que com o acompanhamento dele, caso tivéssemos que partir para a cesária ela seria realmente uma cesária necessária. Por isto quando ele falou da indicação recebemos bem a notícia. Mas acho que minha ficha foi mesmo cair quando a Carol chegou no quarto. Ela me abraçou e acabei caindo no choro... Não era um choro de tristeza, porque o que importava mesmo era meu filho chegar saudável, e ele chegaria! Mas um choro de chateação, porque havíamos preparado muito para aquele momento, porque eu gostaria muito de participar do meu parto ativamente... Mas uma chateação que logo passa quando vejo o rostinho lindo do Derik.
Entramos para o centro cirúrgico e às 00h16 do dia 17 de setembro nasceu nosso filhote, lindo e saudável! Não arrependemos de maneira alguma de ter passado pela indução, pelas contrações, pelas dores... Faríamos tudo de novo! Foi muito importante termos passado por tudo isto, nosso filho nasceu na hora dele, e sabemos que todo este processo foi importante para ele.
Quero deixar aqui registrado que o Núcleo Gestar Feliz foi fundamental para minha gestação e para meu parto. Além dos exercícios físicos, nos abastecemos de informação nas palestras e nas aulas, além das grandes amizades que lá fazemos. Eu e meu esposo agradecemos. de coração a você Wilma, a Carol e a Samia, por tudo!!! Vocês fizeram a diferença neste momento tão especial de nossas vidas!"
Agradeço de coração as palavras carinhosas e parabenizo vocês pela garra, empenho e dedicação na busca do parto que vocês idealizaram. É muito bom perceber o quanto a confiança na equipe e principalmente o fato de estar bem emponderados de informações deu a vocês a serenidade para aceitar p que realmente era a melhor indicação naquele momento, a "necesarea"...
Nasceu ontem, 26/09 ás 20:50h, a Mariana com 3kg e 49cm, filha da Ana Ana Luiza Costa Ottaño e Roger Ottaño, e irmã do Marco Antônio em um lindo e rápido Parto Domiciliar Planejado!!
Nasceu no dia 19/09/15, às 7:15h, a princesa Marina, com 3130kg e 50cm, filha da Daniella e Macedo. Abaixo transcrevo o relato que ela própria escreveu sobre seu parto:
" Meu (quase) parto Natural:
Ainda dói pensar no que aconteceu, ou melhor, no que não aconteceu. Em todo lugar que vou fazer um procedimento com minha filha, à todas as pessoas que me perguntam, responder que me parto foi cesário dói muito. Antes mesmo de decidir engravidar, já sabia como queria que me filha viesse ao mundo.
Confesso que antes de abastecer de informações sobre os beneficios do parto natural, a minha convicção era pensando apenas em mim, não queria ser anestesiada, não queria ser operada e só. Conheço algumas pessoas que frequentaram o Núcleo Gestar Feliz, e sempre tive uma impressão errada do que seria o projeto. Queria me exercitar grávida, mas não queria um lugar onde as pessoas fossem monotemáticas e só falassem de bebês. Achava que iria me entendiar com tudo isso. Cheguei à procurar uma outra atividade para me exercitar, mas não sei porque resolvi dar uma chance à FISIOPALMAS. Aos poucos fui percebendo o quanto estava errada, o quanto a convivência com todas aquelas pessoas, com os mesmos medos e inseguranças me faria tão bem! Fui me informando não só com as palestras, mas também com as inúmeras conversas informais durantes as aulas. Cada colega que paria era motivo de muita comemoração e curiosidade, amáva escutar os relatos e ver como tudo tinha acontecido... e assim ia sonhando com meu momento.
Minha filha quis vir após as 41 semanas, e mesmo com tanta pressão, perguntas e previsões vindas de todos os lados, me mantive tranquila para esperar a hora dela. Continuei trabalhando, fiz acupuntura, acrescentei caminhadas diárias e exercicios em casa à minha rotina quando chegaram as 40 semanas. No dia 17 comecei à sentir as contrações por volta das 23:30, deitei para tentar dormir, pois sabia que seria importante guardar energia para o que viria, porém na prática foi diferente, como as contrações estavam de 10 em 10 minutos, o descanço não foi possível. Por volta das 3h levantei e tomei uma banho para tentar relaxar, e assim que amanheceu me comuniquei com a Sâmia e com o Dr.Alexandre Soares Barbosa, relatando o que havia acontecido. Fiquei de ir às 8hs para ser avaliada, e antes disso fiz 40 min de caminhada com meu esposo para ajudar o processo. Na avaliação 3 cm de dilatação. Fui à FISIOPALMAS, Samia Rocha me colocou agulhinhas na orelha e fui para casa almoçar uma comidinha apimentada! De tarde chá de gengibre e canela além de exercícios aqui em casa. As contrações eram agora de 5 em 5 minutos e voltei ao Alexandre. Dilatação de 4 cm. Meu esposo achou melhor já ficarmos por lá. À essa altura meus pais estavam na estrada e chegariam a qualquer momento e eu achei que ficaria mais tranquila apenas com meu esposo.
Logo a Sâmia chegou e começamos uma divertida maratona de exercícios pelo quarto e pelo corredor do hospital! Queria uma esteira... a vontade de caminhar era enorme! As contrações eram efetivas mas não pegaram rítmo, hora mais perto, hora mais espassadas. Mas eu, não parava de agachar, pular, andar...
Jantei um caldinho bem apimentado e tomei mais chá. Quando a noite chegou as dores foram se intensificando e perdi um pouco a noção do tempo... meu esposo foi perfeito. Conheço as limitações dele e ele superou todas para estar alí comigo. Foi carinhoso, compreensivo e me deu toda força do mundo! A Sâmia foi uma companheira maravilhosa, me orientava, me guiava, me dava paz. A noite foi longa: conversamos, demos risadas, nos exercitamos, rezamos.
Cada vez que o Alexandre chegava para me avaliar batia aquela esperança de estar chegando perto do fim, mas a evolução era lenta demais... Não sabia mais o que fazer para acelerar aquele processo e tirar de mim a dor, que nessa altura do campeonato estava muito forte. Não me lembro a hora, mas quando dilatei 7cm foi para a banheira... ahh como eu queria ter minha filha alí! As dores eram intensas demais e comecei à enjoar...vomitei várias vezes e a fraqueza e o cansaço começavam a bater, porém em momento algum pensei em desistir. O dia foi chegando, era minha segunda noite em claro. Optamos em romper a bolsa de águas. Neste momento achei que não iria suportar a dor.
Esperamos mais algum tempo e nada de evolução, as contrações eram quase insuportáveis mas não pegavam o ritmo. A Alexandre veio conversar comigo, muito atencioso me explicou que tudo aquilo poderia ir muito longe, minha filha estava bem, batimentos cardíacos fetais normal, mas eu, cansada e fraca não iria conseguir passar pelo processo de expulsão caso a dilatação se completasse. Então sabiamente me indicou a cesárea. Meu mundo caiu... era medo, frustação, impotência, tudo junto e misturado. Meu esposo foi contra, pois acreditava que a gente ainda conseguiria. Desistir do me parto natural foi a decisão mais dura da minha vida, mas eu não tinha mais forças. O caminho da suíte de parto até a sala de cirurgia foi o mais longo que já percorri. As contrações vinham e eu tinha que parar. Enfim quando cheguei me deparei com um ambiente claro, frio, cheio de pessoas estranhas conversando sobre futebol, uma pessoa me fazendo entevista e eu tendo que administrar meu pânico e a minha dor. Foram 3 contrações até conseguir ser anestesiada, enfim a dor física havia passado. Neste momento eu e meu esposo nos olhamos e choramos desesperadamente. A cirurgia foi muito rápida, logo abaixaram o campo e eu pude ver minha filha... encostaram ela no meu rosto e tirei a foto que sempre achei vazia e queria evitar. Logo levaram ela de mim. À essa altura do campeonato não conseguia raciocinar mais e meu plano de parto humanizado escorria pelo ralo. A Sâmia trouxe ela para mim, já com a sua roupinha e ela sugou um pouco. Ela nasceu ótima, limpinha, rosada, apgar 9 e 10! O que tirei de lição de tudo isso: Não me arredendo de nada e faria tudo de novo... passaria por todas as dores novamente, foi uma experiência incrível, trouxe ainda mais amor e complicidade para o meu casamento e fortaleceu os laços entre nós 3. Depois soube que a Marina estava com a cabecinha fora de encaixe, e se eu persistisse no parto teriam que ter sido feitas manobras mais agressivas para ela nascer, encarei a realidade: fiz a escolha certa, por mais que tenha doído abrir mão de tudo que eu queria e que havia me preparado tanto. Não há palavras para descrever o que a Sâmia, o Alexandre e meu esposo Macedo representam para mim a partir daquelas longas horas que tentamos de tudo para fazer minha filha vir ao mundo de maneira natural. Aquele dia estará para sempre na minha memória como o dia mais difícil e emocionante da minha vida! Obrigada ao núcleo por tudo que fazem por nós... informação e carinho que não tem preço! Estou morrendo de saudade da convivência e das aulas! Que venha o pós parto..." Daniella, é emocionante para mim ler um depoimento desses, nosso objetivo sempre foi promover gravidez saudável e partos conscientes e humanizados, seja como for, e quando vejo mulher que não deixa a frustração superar a alegria e a benção do nascimento de um filho, sinto que estamos no caminho certo!

Nasceu, no dia 13/09, domingo , ás 11:59h, com 35 semanas de gestação a apressadinha Mariana, com 2345g e 44cm, filha da Jiane e Dácio! Abaixo, o relato do parto dela, pela Samia que a acompanhou:
"A Jiani começou a sentir as contrações 8:30h da manhã de domingo. Logo após a bolsa rompeu e as contrações aumentaram muito. Ela me ligou às 09:40h, orientei que fosse logo para a Maternidade D. Regina pois teoricamente o bebê ainda era prematuro. Ao ser avaliada, na maternidade já estava com 8 cm. Dácio seu marido, me ligou e fui voando pra lá. Cheguei às 10:45, sugeri que fosse para p chuveiro, ela usou a bola, e ficou de cócoras para ajudar Mariana a descer, e por volta de meio dia nasceu a Mariana que chorou com vigor e logo mamou, ficou pele-a-pele com a mamãe Jiane e o papai Dácio cortou o cordão, demostrando claramente que trabalho de parto e o parto natural ajudaram a amadurecer o pulmãozinho da Mariana!

Nasceu sábado, 12/09, á 1h, da manhã a princesinha Laura, com 2745g e 46cm, lindinha! Filha da Fernanda e Fernando. A seguir transcrevo o relato do parto feito pela colega Samia Rocha, que os acompanhou: "Fernanda entrou em contato pelo meu whatsapp, Samia, às 22:48h de sexta-feira dizendo estar sentindo leves contrações, orientei que tomasse um banho morno e tentasse relaxar e dormir, já que as contrações estavam suaves e sem intervalos regulares. Porém, logo depois, às 23:10h seu marido ligou dizendo que estava preocupado pois as contrações já estavam com intervalos de 3 minutos e com duração de 40 segundos, e já saia tampão com sangue constantemente,o que sabiam ser normal, mas consideramos já ser conveniente uma avaliação. Foram para o hospital da UNIMED por volta de 23:45h e em seguida cheguei pra acompanhá-los. O obstetra plantonista foi acionado, enquanto isso a médica clinica geral avaliou: 6 cm de dilatação, quando o Dr. Cornélio Magalhães Júnior obstetra de Plantão chegou, por volta das 0:30h e reavaliou a dilatação estava completa!
Como todos sabem estou viajando, mas continuo ligada nas "minhas"gravidinhas acompanhando a chegada dos bebês..
Nasceu, no dia 5/09, sábado, às 1:45 da madrugada a Lis, com 3545g e 52cm, filha da Karolyne e Lucas, linda!! E aí vai o relato com as palavras dela: " Na sexta feira as 03:30 da manha começei a sentir umas leves cólicas mais ou menos a cada 20 minutos. Fiquei muito feliz porque já tava com muita vontade de sentir dor e minha flor nascer... Sabia que tinha chegado a hora.. Ai fiquei tranquila aproveitei pra dormir e ficar em casa até não aguentar mais... Fiz exercícios em casa meu marido, sempre presente, a Carol aconselhou fazer a aula de exercícios no solo ás 18:10. Fui e fiz os exercícios sentindo as contraçaoe mas com pensamento que talvez não tivesse dilatado muito. Depois da aula fui comer um espetinho na rua, foi so o prazo de chegar em casa e as contratações arrocharem e decidi ir para hospital pra uma consulta. Lá o medico fez o toque e disse q já tava com 9cm já me encaminhou para o pré parto. Por volta das 22h, as contrações estavam a cada 5 minutos. Dai em diante dorrrrr muita dorr!!

Apresentando a Larissa com 1 mês de vida! — com Ju Farinelli Panontin e Guigo Panontin.

planoparto 570x100

 

FISIOPALMAS

Pioneira no Tocantins, a FISIOPALMAS, iniciou suas atividades na nova capital no início de1993. Leia mais...

Núcleo Gestar Feliz

O Nucleo Gestar Feliz é composto de uma equipe interdisciplinar que tem como objetivo incentivar e apoiar a gravidez e parto consciente. Leia mais...

 

TELEFONES

(63) 9 8141-1001 (Tim)whatsapp

(63) 9 8447-5155 (Oi)

(63) 3028-1556 (Fixo)

(63) 3028-1558 (Fixo)

 fisiopalmas.to@gmail.com

© 1993 - 2017 FISIOPALMAS. Todos os DIREITOS são reservados.

Desenvolvido por OceanoAzul 100x27